CHARADA - Pagando por cheirar
uma sopa


         Deram um pedaço de pão a um mendigo, mas nada para colocar dentro do pão. Na esperança de conseguir alguma coisa para colocar dentro do pão, ele foi até um restaurante nas proximidades e pediu uma esmola. O cozinheiro( e também dono do restaurante) o mandou embora sem dar nada, mas o mendigo furtivamente deu a volta até os fundos do restaurante e se aproximou da janela da cozinha, onde ele viu uma grande panela de sopa cozinhando sobre o fogo.
        Ele segurou seu pedaço de pão pela janela e sobre a panela fumegante, na esperança de capturar, assim, um pouco de sabor do cheiro do bom vapor.
        De repente, o cozinheiro agarrou-o pelo braço e acusou-o de ter roubado sopa.
        "Eu não tomei nenhuma sopa", disse o mendigo. "Eu só estava cheirando o vapor."
        "Então você tem que pagar pelo cheiro", respondeu o cozinheiro.
         O pobre mendigo não tinha dinheiro, de modo que o cozinheiro, com raiva, decidiu levar o caso à justiça. Um tribunal especial móvel de pequenas causas chegou ao restaurante. Agora, nesse momento um honrado senhor, chamado Renato Puntzgerald atuava como o juiz do caso. O juiz então pediu que o cozinheiro e o mendigo se aproximassem e que cada um explicasse o que tinha acontecido.
        "Então você exige que ele pague pelo cheiro da sua sopa?" Resumiu Renato depois de ouvir os dois homens.
        "Sim, meu senhor!" insistiu o cozinheiro. "A minha sopa é boa e é cara para fazer, por isso os cheiros valiosos devem também ser caros e ter um valor também."
        “Pagamento pelo cheiro? Realmente todas as coisas têm valor, mas o que seria um valor justo para apenas o cheiro de uma panela de sopa? Esse é o problema aqui."
        Eis então que algo atrás deles chamou a atenção do juiz Renato, quando um homem pagou por uma cerveja no balcão e foi embora. "Ah, sim. Sim, de fato, há um pagamento justo para apenas o cheiro de sua sopa".
        Como poderia haver um valor justo para apenas o cheiro do cozimento de uma sopa?


        Dica: Um som chamou a atenção do juiz



RESPOSTA

     



contato@charadaslegais.com.br

Política de Privacidade